Relato da mamãe Jhad Moraes Belarmino ♥




Relato da nossa seguidora Jhad Moraes Belarmino

Não é uma tarefa fácil ser mãe. Todos os dias eu penso em desistir. Nunca vi na maternidade algo que se enquadrasse no estilo de vida que gosto de ter.

Todas as noites ele acorda chorando querendo mamar. Ai eu já não acordo bem porque odeio ter o sono interrompido. Mesmo assim eu acordo, resmungando e de má vontade. Troco a fralda, alimento e quando chega a hora de colocá-lo pra arrotar eu me recuso a ficar de pé- única forma que ele dorme - porque não me agrada nem um pouco ficar andando pela casa.
Aquele balanço de ficar indo pra frente e pra trás me dá nos nervos.
E pela manhã praticamente não consigo fazer nada porque quando faço todo esse processo que se repete rotineiramente, e ponho ele deitado, ele abre os olhos e chora porque ele não quer ficar deitado. Ele quer colo. Mas eu reclamo.
Antes de tê-lo eu já sabia como seria se eu fosse mãe. Não seria bom. Porque não era algo que eu queria. Nasci pra ser livre. Nunca quis ter alguém dependendo de mim. Mas ele veio. Com saúde e lindo. E mesmo assim eu reclamei. Porque senti dor na hora do parto e mais dor depois. Só chorava. Houve gente que me disse que estava tendo depressão pós parto. Eu pensei várias vezes em desistir. Não porque ele é um bebê horrível. Mas porque eu era horrível. Ou sou sei la. Ele precisava de uma mãe melhor porque eu tinha consciência que eu não era e não atenderia as expectativas. Tenho características muito específicas que não combinam com a tarefa em ser mãe. Impaciência. Pavio curto. E o pior talvez: a não aceitação.
E todos os dias eu me pergunto: "Porque Deus? Me proporcionou ser mãe se é algo que eu sei que não é meu dom? Porque me deu um filho lindo, saudável, que só chora porque quer se alimentar ou ser trocado pra ficar limpinho enquanto eu sou assim? Nervosa, que reclama porque não tem tempo pra ser o que eu era antes de ser mãe e continuar fazendo o que eu fazia sem limitações? Quem vai entender os desígnios de Deus? Ele tem algo a me ensinar com isso eu sei, mas o que? Talvez meu filho tenha vindo pra me transformar. Mas eu tenho me fechado pra mudanças e porque? Hoje sou mãe. Preciso cuidar dele. Dar a ele o meu melhor. E porque não tenho feito isso? Isso so fortalece ainda mais a ideia que eu tenho de que ele precisa de uma mãe melhor.
E sabe o que faço quando ele sorri pra mim mesmo depois de tudo de impaciente que faço? Sabe o que eu faço quando ele finalmente dorme tão calmo e lindamemte? Eu olho pra ele chorando e peço desculpas. Muitas desculpas. E à Deus também. Milhares de desculpas. Porque Ele me deu um presente e eu rejeito com meu nervosismo. E peço à Deus uma nova chance de poder tentar ser melhor pra ele. Uma mãe de verdade.
Sabe, ser mãe não é fácil. É um sacrifício que deve ser feito, é renunciar coisas que ama por um tempo, é estar disponível 24 horas. 24 horas mesmo! É fazer com que um filho se sinta seguro no teu colo e não assustado com seus gritos. Sabe o que se passa dentro de você? Ele sente tudo!. Enfim. Meu filho sente tudo o que sinto. Quando eu grito quando ele chora muito ele se assusta e chora mais.. Quando ele me acorda de madrugada porque quer se alimentar e eu reclamo, ele fica inseguro e mama mal. Porque ele sabe que eu não queria ter acordado. O que eu quero dizer com isso é que tenho consciência da minha forma de ser. E sei que todo dia Deus me da uma nova chance. Meu filho está aqui. E essa é a resposta mais clara de Deus. Como se eu o ouvisse dizer:

" Ele vai acordar chorando. Faça diferente de ontem. Seja paciente. Ele precisa de você. E eu sei que vai conseguir ser uma ótima mãe. Eu te criei. Assim como o criei. E se te escolhi pra ser a mãe dele é porque eu acredito que você pode!"
Sei que tem outras como eu que não enxergam seus filhos como seus filhos. Mas antes de levantar a voz para gritar ou xingá-los, antes de levantar a mão para agredi-los num ímpeto de raiva, antes de dizer o quão arrependidas estão por tê-los tido. Antes de pensar em qualquer ato de agressividade mesmo que não seja de uma forma física, mas mesmo emocional. Olhe para eles. Seus filhos. Assim como olho para o meu. Veja o quão indefesos são. E o quão lindos são. São inocentes. Sem maldade alguma.
Ser mãe é um dom. Umas nascem com ele. Outras desenvolvem esse dom quando tem seus filhos nos braços. Todos os dias eu peço perdão ao meu filho por ser como sou. Pelos meus pensamentos. Pelas coisas que digo a ele sem querer. E creio que ele me perdoa. Porque ainda dorme nos meus braços se sentindo protegido. O que me falta é mais força de vontade. Eu ainda não me sacrifiquei o suficiente. Não fiquei cansada o suficiente. Por um filho nada que se faça é suficiente. É sempre se doar mais. Se entregar mais. Renunciar mais. E é nisso que peco diariamente. Eu tenho que entender isso. E quero entender isso. Todos os dias eu preciso fazer diferente. Tenho que passar por cima de mim para atender a ele. Eu espero consegui. Por mim. Por ele. POR DEUS. Eles confiam em mim. E não posso decepcioná-los mais. Tente buscar dentro de si a sentelha da maternidade.. Se Deus não acreditasse que você pudesse ser mãe ,teria te feito infértil. Um ventre seco. Mas não. Ele acredita em nós. Ele acredita em mim. E por Ele eu preciso melhorar. E vou. Eu sou mãe. E amo o meu filho. E ele precisa saber e sentir isso todos os dias da vida dele.
Mãe. Mulher. Acredite mais em si mesma. Deus está de prontidão para te fazer melhor todos os dias. Basta abrir-se para a transformação. O meu filho. Os nossos filhos são os intermediários para o agir de Deus em nossas vidas.

 Envie seu relato para nós AQUI Publicaremos aqui no nosso blog!


 Ei psiu! Clique nos anúncios, é rápido fácil e ajuda MUUUITO o nosso blog!
Entenda melhor AQUI

Visite nossa Página no Facebook Página Diário das Mamães
Nosso Canal no YouTube Canal Diário das Mamães
E nosso Instagram: Instagram Diário das Mamães

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo